Viva o México! Mostra sobre Frida Kahlo em SP e filme para as crianças

Amo o México, suas cores e cultura. É um destino que quero muito voltar e, da próxima vez, com as crianças. Recomendo colocar o lugar na wish list das viagens em família. Enquanto isso, dá para mostrar aos pequenos um pouco mais sobre o país. Frida Kahlo ganhou nova exposição em São Paulo – o site São Paulo Para Crianças listou 8 motivos para levar a criançada à mostra Frida e Eu – e a Disney-Pixar lança, em breve, a animação A Vida é Uma Festa, ambientada no México.

Antes do longa chegar aos cinemas, confira o curta O Almoço de Dante. 

 

 

MAIS SOBRE O MÉXICO: 

 

Glamping: um chalezinho em Itu (SP)

glam

Você sabe o que é glamping? É uma forma de hospedagem, bem comum no exterior, que significa acampar com glamour. Resumindo: sem muito perrengue. O termo é pouco difundido por aqui.

Mas, sem querer, encontrei um lugar para passar o final de semana, enquanto buscava pousada próxima de São Paulo no Booking.com, que é a perfeita tradução de glamping. No site de reservas online e no próprio site, o local aparece como Pousada Corujas. Definitivamente não é a classificação mais apropriada.

Numa área plana e arborizada de 5 alqueires em Itu (SP), há 10 chalé de dois andares que acomodam até 6 pessoas cada. Todos têm uma pequena cozinha equipada e churrasqueira. A simpática Márcia, proprietária, serve um caprichado café da manhã e tem carvão à disposição para quem quiser comprar. Fora isso, é preciso levar todos alimentos que serão consumidos ao longo do dia. Da água aos petiscos e cerveja que serão consumidos à beira das piscinas.

Os jogos de lençóis, as toalhas e os travesseiros disponíveis e em ótimo estado reforçam o título glamping do local. No entanto, as maiores atrações são as piscinas. São três: uma grande ao ar livre, uma aquecida dentro de uma cobertura envidraçada – perfeita para nadar à noite (na nossa estadia, fomos presenteados com lua cheia) -, e uma pequena para bebês.

Durante as férias de janeiro e julho, a pousada/glamping Corujas funciona como acampamento para até 100 crianças.

VEJA TAMBÉM: Califórnia com criança: muita natureza, cabana e ursos em Yosemite

glamping Corujas

glamping Corujas

glamping 3

Dica de presente para feministas de todas as idades

Alek Wek_Historias de Ninar

 

“Era uma vez uma garotinha que amava livros/que tinha o cabelo ruivo/que vivia em um convento/que usava óculos grossos.” Não se engane com a linguagem infantil que parece sair dos contos de fadas. A maioria das biografias reunidas em “Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes: 100 Fábulas Sobre Mulheres Extraordinárias (V&R Editoras)”, que acaba de ser lançado no Brasil, começa com esse enredo. Mas, em vez de esperar pelo príncipe encantado, essa centena de mulheres retratada no livro foi à luta, desafiou preconceitos e deixou sua marca na ciência, na literatura, na aviação, na política, no esporte, na música e na moda.

A infância da modelo Alek Wek – num vilarejo do Sudão em que não havia água potável nem eletricidade e de onde fugiu com sua família para Londres por causa de uma guerra – e a origem das roupas pretas e brancas inspiradas nas freiras e que viraram ícone de Coco Chanel são contadas em duas das 207 páginas da obra. Já a poetisa e confeiteira Cora Coralina e a surfista Maia Gabeira foram as brasileiras homenageadas pelas autoras italianas Elena Favilli e Francesca Cavallo. A menina trans Coy Mathis, que ganhou na Justiça dos Estados Unidos o direito de usar o banheiro feminino da escola, também faz parte do extraordinário time feminino.

Cada biografia é acompanhada de um retrato feito por uma das 60 ilustradoras de diversas nacionalidades que fazem parte do projeto. O livro é lindo, para ler, reler e presentear mulheres de todas as idades. Desde aquelas que estão na barriga e vão nascer num mundo que caminha para a igualdade dos gêneros até aquelas que vieram de uma época em que não podiam ir às urnas. A garotinha de 7 anos lá de casa anda encantada com a coletânea: após ouvir uma nova história, recorre ao Google para pesquisar mais fotos sobre a heroína da vida real que acaba de conhecer.

Além de fortalecer o importante momento do empoderamento feminino e movimentos feministas, Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes também deixa outra marca. É resultado da arrecadação do maior valor na história do financiamento coletivo para livros: reuniu US$ 1 milhão de apoiadores de mais de 70 países.

 

Histórias de ninar para garotas rebeldes

 

(Publiquei essa resenha na revista e no site da Harper’s Bazaar)

Ótima linha orgânica de xampu e sabonete para criança

Foi com uma animada festa para crianças no salão Laces & Hair da rua Amauri, em São Paulo, o lançamento da primeira linha infantil de produtos de cabelo e corpo da Cris Dios Organics. (Acompanhou no nosso Instagram?)

O xampu (R$ 79), o condicionador (R$ 79) e o sabonete líquido (R$ 69) – todos à base de óleo essencial de lavanda e extrato de camomila – são hipoalergênicos e livres de parabenos e sulfato, portanto, indicados para bebês e crianças de todas as idades. “Quis trazer para dentro dos potinhos tudo o que há de mais puro e orgânico”, explica Cris, cosmetóloga e sócia-fundadora do Laces and Hair.

A linha Kids – aprovadíssima aqui em casa – está à venda em todas as unidades do Laces, no site crisdiosorganics.com.br e no e-commerce The Beauty Box.

 

cris-dios-kids

 

5 escolhas de Natal

A nossa seleção para colocar debaixo da árvore (que pode ser de papelão) – e agradar em cheio:

gandaia_natal

PARA OS MENORES: Animais de madeira para empilhar da Gandaiá. 

 

maria-brigadeiro_natal

PARA COMPARTILHAR: Panetone artesanal recheado de chocolate 75% cacau da Maria Brigadeiro.

 

dentro-da-historia_natal

PARA OS QUE JÁ SABEM LER: Livro/gibi personalizado em que a criança faz parte da Turma da Mônica, da Dentro da História.

 

w_santa_fun_figure

PARA O BANHO: Massinha de limpeza Santa para modelar e lavar corpo e cabelo, da Lush.

 

eu-amo-papelao_natal

PARA DECORAR: Árvore de papelão de 1,79 m de altura para customizar e que é à prova de puxões de bebês, da Eu Amo Papelão.

 

Você trocaria um brigadeiro por um picolé? SIMMM!

picoles

Calor, crianças suadas de tanto brincar… Já pensou em trocar os brigadeiros da festa infantil por picolés de frutas bem refrescantes? Posso garantir: é sucesso absoluto.

Substituí os tradicionais docinhos de leite condensado e chocolate por uma caixa abarrotada de sorvete no palito de limão, morango, maracujá, tangerina e açaí, em que os pequenos convidados podiam se servir à vontade. Em uma enorme e linda cesta de vime com tampa, acomodei três caixas de isopor com gelo e 80 picolés para uma festa com 25 crianças. Mas o brigadeiro não ficou totalmente de fora da comemoração. Ele ganhou status de rei do pedaço e foi o sabor escolhido para o bolo.

Quer entrar na onda e servir picolé na próxima festa do seu filho? Veja qual é a melhor opção para a sua comemoração:

ECONÔMICA: Vá até a loja de fábrica Oggi (na Av. Rebouças, em São Paulo), que vende mais barato por atacado. O picolé Frutos sai mais em conta do que um brigadeiro gourmet. Atenção: a marca tem uma linha chamada Festa, com picolés menores e mais baratos, porém com sabores muito artificiais.

PRÁTICA: Pare na padaria mais próxima e arremate algumas caixas do bom e velho Kibon – ou do Rochinha.

SOFISTICADA: A Vero Latte, por exemplo, tem gelatos artesanais com cobertura durinha e em tamanho mini. E ainda disponibiliza um charmoso carrinho para locação.

 

Na festa infantil, a trilha sonora é para os adultos

Sou fã das músicas para criança do Pato Fu e da Adriana Partimpim; de Palavra Cantada cansei um pouco. Mas, ao organizar a festa de aniversário da minha filha, bateu uma dúvida sobre qual seria a playlist. As crianças estarão se divertindo nas camas elásticas, trapézio e tecidos acrobáticos, e certamente não vão prestar atenção na trilha sonora. Sobrará para os pais escutar por três ou quatro horas a nossa seleção musical. Bingo! Então, vamos fazer uma lista para agradar os adultos.

Para saber por onde começar, acionei meu amigo querido, editor de Cultura da Harper’s Bazaar e DJ Gustavo Abreu, que prontamente topou montar uma playlist para os 7 anos da minha filha. Ontem à noite recebi um recado dele: “Comecei a escolher as músicas e tive a ideia de só colocar vocais de mulheres poderosas e inspiradoras, pra Chloe crescer com vários role models incríveis na música. De Blondie e Cyndi Lauper… a Cat Power e Sia. Espero que gostem!”

Fiquei emocionada com o gesto e apertei play. Eu e Chloe adoramos a seleção.

Quer saber qual é? Clique aqui: http://spoti.fi/2eHQhLr

 

chloe

 

Conectadas pelo correio

O convite da festa dos 7 anos da minha filha poderia ter sido mandado, instantaneamente, pelo celular para os pais dos amiguinhos que não estudam na escola. Como os colegas da classe receberam em mãos, decidi, então, enviar para os demais pelo correio.

Alguns selos de R$ 1,15 cada, dois dias de espera e voilà: recebi mensagens das mães (pelo celular) contando a felicidade de seus respectivos filhos ao verem um envelope com seu nome na caixinha do correio ou por baixo da porta.

Uma das crianças, que tem a mesma idade da minha filha, agradeceu o convite mandando uma cartinha como resposta. Logo, ela receberá um novo envelope da futura aniversariante; desta vez, com um desenho. Assim, sem querer, apresentei uma nova forma de comunicação para essas duas garotinhas. E ainda trouxe à tona uma boa lembrança, de quando eu aguardava notícias que chegavam em papel de carta.

Aliás, alguém sabe me dizer se ainda vende papel de carta por aí?

 

carta

 

 

Lençol personalizado com desenho da criança

Você é aquele tipo de mãe ou pai que guarda todos os desenhos do seu filho e costuma emoldurar os mais legais? Já falamos sobre isso neste post aqui, em que mostrei algumas ideias fofas para expor as obras de arte das crianças de diferentes formas.

Recentemente conheci mais uma opção muito legal para transformar os traços coloridos do filho (sobrinho, afilhado, neto…) em item de decoração – exclusivo, claro. O ateliê Maria Algodão, que faz jogos de cama lindos, tem entre as opções lençol personalizado com o desenho da criança. Basta mandar a obra digitalizada em boa qualidade e ela será estampada na fronha. Ah, ainda dá para escolher a cor da dobra do lençol para combinar melhor com o desenho: vermelho, verde, azul, laranja ou pink. Seu pequeno artista vai adorar a experiência de dormir em sua própria obra.

O jogo completo com 3 peças em 100% algodão custa R$ 178 e vem com lençol de baixo com elástico (medidas: 0,90 m x 1,90 m x 0,30 m), lençol de cima branco com vira colorida (1,60 m x 2,50 m) e fronha personalizada (50 cm x 70 cm).

 

lençol personalizado_Maria Algodão

Lençol personalizado: o desenho da criança vira item de decoração exclusivo no ateliê Maria Algodão

 

Livros para mães – mas não sobre maternidade

Depois de dois longos meses, acabei de ler o livro que ganhei de aniversário, “Homens Sem Mulheres” de Haruki Murakami, um dos meus autores preferidos. A primeira obra de contos do escritor japonês publicada no Brasil é ótima, e a demora se deu por falta de tempo e cansaço.

Percebi que desde que eu virei mãe, mantenho duas pilhas de livros: uma dos que começo a ler e paro na metade e outra com as obras que consigo seguir até o fim. Todos da segunda pilha têm algo em comum: são coletâneas de contos ou crônicas.

Já ouvi queixas de outras mães com filhos pequenos de que também não conseguem manter a mesma rotina de leitura desde o parto. Cheguei à conclusão de que esse tipo de obra, em que uma história começa e termina num capítulo, é perfeito para para quem o constante cansaço não permite muito tempo de dedicação e concentração. Tem coisa mais chata e que desperdiça tempo do que abrir o livro depois de uns dias esquecido, não se lembrar em que parte parou e reler algumas páginas para conseguir retomar o enredo?

Essas são as minhas dicas de livros para mães e pais cansados e que o foco não é maternidade.

“HOMENS SEM MULHERES”  Em cada capítulo, Haruki Murakami conta a história de um homem que perdeu a mulher após um relacionamento conturbado. Apesar de aparecerem em primeiro plano, são as mulheres as verdadeiras protagonistas desses encontros e desencontros marcados por muitas referências à música, à obra “Mil e Uma Noites” e a um dos contos de Hemingway, que dá título ao livro.

Homens Sem Mulheres_Pequenas Escolhas

 

“O ESCOLHIDO FOI VOCÊ” – Gosto do olhar de voyeur que o livro proporciona ao adentrar em casas e histórias alheias. Miranda July percorreu diversas regiões de Los Angeles e entrevistou pessoas comuns com perguntas como “Qual é a sua lembrança mais antiga? e “Como você passa o seu tempo?”. Os entrevistados foram escolhidos porque a autora ficou curiosa em saber mais sobre os anunciantes de um jornalzinho que vendiam seus objetos pessoais, como girinos, Ursinhos Carinhosos e uma jaqueta de couro. Um desses personagens revela que passava por cirurgias de mudança de sexo.

O Escolhido foi Você_Pequenas Escolhas

 

“TRINTA E OITO E MEIO” – Já era fã da coluna da atriz e apresentadora Maria Ribeiro na revista “TPM” e me interessei imediatamente pelo título do livro porque estava estava prestes a completar 38 anos. (Aliás, esse foi o presente para algumas amigas que estavam na mesma idade. Espero que tenham gostado!) O livro é um compilado de crônicas, reflexões e desabafos de Maria sobre a passagem do tempo e sua jornada e que tem ilustrações de Rita Wainer, de quem também admiro o trabalho.

Trinta e oito e meio_Pequenas Escolhas

“TUDO TEM UMA PRIMEIRA VEZ” – A jornalista Mariana Kalil foi minha editora numa revista de celebridades. Sempre admirei a leveza e o bom humor de seus textos. Nesta sua terceira obra, ela conta algumas situações em que viveu o papel de estreante. Algumas até trágicas, mas transformadas em diversão nas páginas de  “Tudo Tem Uma Primeira Vez”, como quando vomitou num jantar de gala em que a princesa Diana estava diante de seu nariz.

Mariana levou ao livro impresso o mesmo tom que escreve em seu blog. Em um post antigo, ela relata como saiu descalça de uma entrevista após ser chantageada por uma atriz. A história ficou famosa nos bastidores da imprensa de celebridade.

 

Tudo Tem Uma Primeira Vez

 

“COMO SER UMA PARISIENSE EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO” – Já falei sobre esse livro num outro post (aqui). Admiro a maneira honesta e cheia de personalidade que as francesas encaram a vida; elas se colocam em primeiro lugar mesmo após a maternidade, não abrem mão da carreira e nem de seus próprios prazeres. Além disso, a obra escrita a oito mãos é uma boa inspiração do estilo minimalista e cool das parisienses.

Como Ser uma Parisiense em Qualquer Lugar do Mundo_Pequenas Escolhas