10 dicas para viajar de avião com criança pequena

Ilustração de Emiliano Ponzi

Ilustração de Emiliano Ponzi

 

Está planejando viajar com os filhos? Ou já está com as malas prontas? Antes de embarcar, leia com atenção a relação abaixo. A pedido do Pequenas Escolhas, Raquel Saraiva, comissária de bordo e mãe de um garotinho de 1 ano e 8 meses, deu 10 dicas para quem vai voar com criança pequena. Aperte o cinto e boa viagem!

1. Crianças até dois anos não pagam passagem, porém não são totalmente isentas das tarifas, que variam de empresa para empresa. Os valores são diferentes para voos nacionais e internacionais. Vale a pena cotar antes. Atenção: mesmo pagando a taxa, elas não ocupam assento.

2. Carrinho de bebê e bebê conforto não entram na cota das bagagens. Você pode levar um ou outro e não será cobrado excesso. Ambos podem ser despachados na porta da aeronave. O que é um alívio na sala de embarque. Há alguns modelos de bebê conforto que são homologados para serem utilizados dentro da aeronave. Certifique-se antes se ele possui um selo de identificação.

3. Algumas empresas aéreas oferecem o serviço de berço a bordo. Consulte a disponibilidade e o valor do serviço. Esse berço é acoplado no anteparo das primeiras fileiras das aeronaves. Ideal para viagens longas e para dar um pouco de descanso aos papais durante o voo.

4. Mamães, evitem usar salto alto porque em alguns aeroportos não há aquelas pontes cobertas (fingers) e você terá que desembarcar pela escada que dá acesso direto à pista. Imagine você carregando o bebê, a mala, tendo que segurar no corrimão e se proteger da chuva? Existe um risco enorme de não ver um degrau ou escorregar.

5. Não há mais travesseiros e mantas em voos nacionais. Esse serviço é disponibilizando em voos internacionais. Como o ar condicionado do avião é bem gelado, leve sempre uma muda de roupa mais quente ou uma mantinha. A saúde do seu filho agradece.

6. É normal bebês e crianças sentirem terríveis dores no ouvido durante pouso e decolagem. A dor se intensifica se a criança estiver com o nariz entupido ou tem algum resquício de resfriado. Sempre recomendamos que nesses momentos do voo a mamãe ofereça chupeta, mamadeira ou o peito. Os maiorzinhos podem mascar chicletes ou balas.

7. O banheiro do avião é pequeno e desconfortável, mas ainda sim é o lugar mais adequado para trocar seu bebê. Vamos lembrar que estamos em um ambiente de confinamento. A própria Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) fiscaliza as aeronaves frequentemente e a até mesmo durante o voo. No toalete sempre existe um trocador. Evite trocar o bebê direto no assento. Há outras pessoas a bordo, e muitas vezes comendo. Não é legal e nem higiênico. Vamos respeitar o espaço do próximo!

8. Se a criança é de colo, procure ficar no primeiro assento, pois tem mais espaço para os pés. Reserve este assento com antecedência. Em voos de duração mais longa, prefira os horários noturnos, geralmente as crianças dormem e isso ameniza o desconforto da viagem. Se o avião não estiver cheio, peça para ocupar uma fileira vazia.

9. Leve a quantidade de potes de papinhas compatível com o tempo de voo na sua bagagem de mão. O mesmo serve para o leite em pó. Opte por levar apenas as medidas de leite na mamadeira e nos potinhos. Você consegue água no avião. Lembre-se de que só é permitido embarcar com até 100 ml de líquido.

10. Leve brinquedos para distrair seu pequeno durante o voo. Os tablets são aliados poderosos nessa hora. Mas sempre com volume baixo para respeitar os outros passageiros. Desenhos para colorir, quebra-cabeças, massas de modelar também são ótimas opções. Manter a criança entretida é garantia de uma viagem mais tranquila para todos.

 

Ideias de destinos para ir com seus filhos:

Luciana

Deixe uma resposta