Carrinho de bebê: até quando usar?

carrinho

 

Pena que o MacLaren da minha filha não tem hodômetro. Tenho muita curiosidade de saber quantos quilômetros o carrinho guarda-chuva vermelho já percorreu nesses quase quatro anos de vai e vem por algumas viagens internacionais e nos incontáveis passeios de metrô por São Paulo, principalmente empurrado pelo meu marido que não dirige.

Decidimos aposentá-lo há um mês. Não por invalidez porque ele continua ótimo mesmo com um roda um pouco capenga depois de prender na escada rolante do metrô de Nova York. Mas porque minha filha de 4 anos e meio já não cabe mais nele.

O passeio derradeiro foi de metrô em São Paulo. Fomos para o Parque da Juventude e depois de rodar bastante por lá, decidimos fazer parte do caminho da volta a pé. Cansada, minha filha adormeceu no carrinho e aí percebemos que o pé dela encostava no chão. Um perigo! Então, bye bye carrinho.

Eu já tinha notado alguns olhares de estranhamento aqui em São Paulo quando viam uma menina grande sendo empurrada – mas eu não encontrava outra alternativa para percorrer grandes distâncias com ela. Além disso, fui pesquisar informações sobre o produto e vi que é recomendado para crianças de até 15 kg – ela já tem 18.

Estamos com a nossa próxima viagem marcada e vamos descobrir na prática como será as andanças sem carrinho. De repente, a minha pequena pode surpreender e mostrar que aguenta andar no nosso pique. Ou então teremos que aderir a um acessório que conheci recentemente, o Saddle Baby. Já ouviram falar? Trata-se de um banquinho para apoiar crianças de 2 a 5 anos em cima do ombro nos pais. Será que funciona?

 

Saddle baby

 

 VEJA TAMBÉM:

Luciana

Deixe uma resposta