Dica de presente para feministas de todas as idades

Alek Wek_Historias de Ninar

 

“Era uma vez uma garotinha que amava livros/que tinha o cabelo ruivo/que vivia em um convento/que usava óculos grossos.” Não se engane com a linguagem infantil que parece sair dos contos de fadas. A maioria das biografias reunidas em “Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes: 100 Fábulas Sobre Mulheres Extraordinárias (V&R Editoras)”, que acaba de ser lançado no Brasil, começa com esse enredo. Mas, em vez de esperar pelo príncipe encantado, essa centena de mulheres retratada no livro foi à luta, desafiou preconceitos e deixou sua marca na ciência, na literatura, na aviação, na política, no esporte, na música e na moda.

A infância da modelo Alek Wek – num vilarejo do Sudão em que não havia água potável nem eletricidade e de onde fugiu com sua família para Londres por causa de uma guerra – e a origem das roupas pretas e brancas inspiradas nas freiras e que viraram ícone de Coco Chanel são contadas em duas das 207 páginas da obra. Já a poetisa e confeiteira Cora Coralina e a surfista Maia Gabeira foram as brasileiras homenageadas pelas autoras italianas Elena Favilli e Francesca Cavallo. A menina trans Coy Mathis, que ganhou na Justiça dos Estados Unidos o direito de usar o banheiro feminino da escola, também faz parte do extraordinário time feminino.

Cada biografia é acompanhada de um retrato feito por uma das 60 ilustradoras de diversas nacionalidades que fazem parte do projeto. O livro é lindo, para ler, reler e presentear mulheres de todas as idades. Desde aquelas que estão na barriga e vão nascer num mundo que caminha para a igualdade dos gêneros até aquelas que vieram de uma época em que não podiam ir às urnas. A garotinha de 7 anos lá de casa anda encantada com a coletânea: após ouvir uma nova história, recorre ao Google para pesquisar mais fotos sobre a heroína da vida real que acaba de conhecer.

Além de fortalecer o importante momento do empoderamento feminino e movimentos feministas, Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes também deixa outra marca. É resultado da arrecadação do maior valor na história do financiamento coletivo para livros: reuniu US$ 1 milhão de apoiadores de mais de 70 países.

 

Histórias de ninar para garotas rebeldes

 

(Publiquei essa resenha na revista e no site da Harper’s Bazaar)

Livros para mães – mas não sobre maternidade

Depois de dois longos meses, acabei de ler o livro que ganhei de aniversário, “Homens Sem Mulheres” de Haruki Murakami, um dos meus autores preferidos. A primeira obra de contos do escritor japonês publicada no Brasil é ótima, e a demora se deu por falta de tempo e cansaço.

Percebi que desde que eu virei mãe, mantenho duas pilhas de livros: uma dos que começo a ler e paro na metade e outra com as obras que consigo seguir até o fim. Todos da segunda pilha têm algo em comum: são coletâneas de contos ou crônicas.

Já ouvi queixas de outras mães com filhos pequenos de que também não conseguem manter a mesma rotina de leitura desde o parto. Cheguei à conclusão de que esse tipo de obra, em que uma história começa e termina num capítulo, é perfeito para para quem o constante cansaço não permite muito tempo de dedicação e concentração. Tem coisa mais chata e que desperdiça tempo do que abrir o livro depois de uns dias esquecido, não se lembrar em que parte parou e reler algumas páginas para conseguir retomar o enredo?

Essas são as minhas dicas de livros para mães e pais cansados e que o foco não é maternidade.

“HOMENS SEM MULHERES”  Em cada capítulo, Haruki Murakami conta a história de um homem que perdeu a mulher após um relacionamento conturbado. Apesar de aparecerem em primeiro plano, são as mulheres as verdadeiras protagonistas desses encontros e desencontros marcados por muitas referências à música, à obra “Mil e Uma Noites” e a um dos contos de Hemingway, que dá título ao livro.

Homens Sem Mulheres_Pequenas Escolhas

 

“O ESCOLHIDO FOI VOCÊ” – Gosto do olhar de voyeur que o livro proporciona ao adentrar em casas e histórias alheias. Miranda July percorreu diversas regiões de Los Angeles e entrevistou pessoas comuns com perguntas como “Qual é a sua lembrança mais antiga? e “Como você passa o seu tempo?”. Os entrevistados foram escolhidos porque a autora ficou curiosa em saber mais sobre os anunciantes de um jornalzinho que vendiam seus objetos pessoais, como girinos, Ursinhos Carinhosos e uma jaqueta de couro. Um desses personagens revela que passava por cirurgias de mudança de sexo.

O Escolhido foi Você_Pequenas Escolhas

 

“TRINTA E OITO E MEIO” – Já era fã da coluna da atriz e apresentadora Maria Ribeiro na revista “TPM” e me interessei imediatamente pelo título do livro porque estava estava prestes a completar 38 anos. (Aliás, esse foi o presente para algumas amigas que estavam na mesma idade. Espero que tenham gostado!) O livro é um compilado de crônicas, reflexões e desabafos de Maria sobre a passagem do tempo e sua jornada e que tem ilustrações de Rita Wainer, de quem também admiro o trabalho.

Trinta e oito e meio_Pequenas Escolhas

“TUDO TEM UMA PRIMEIRA VEZ” – A jornalista Mariana Kalil foi minha editora numa revista de celebridades. Sempre admirei a leveza e o bom humor de seus textos. Nesta sua terceira obra, ela conta algumas situações em que viveu o papel de estreante. Algumas até trágicas, mas transformadas em diversão nas páginas de  “Tudo Tem Uma Primeira Vez”, como quando vomitou num jantar de gala em que a princesa Diana estava diante de seu nariz.

Mariana levou ao livro impresso o mesmo tom que escreve em seu blog. Em um post antigo, ela relata como saiu descalça de uma entrevista após ser chantageada por uma atriz. A história ficou famosa nos bastidores da imprensa de celebridade.

 

Tudo Tem Uma Primeira Vez

 

“COMO SER UMA PARISIENSE EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO” – Já falei sobre esse livro num outro post (aqui). Admiro a maneira honesta e cheia de personalidade que as francesas encaram a vida; elas se colocam em primeiro lugar mesmo após a maternidade, não abrem mão da carreira e nem de seus próprios prazeres. Além disso, a obra escrita a oito mãos é uma boa inspiração do estilo minimalista e cool das parisienses.

Como Ser uma Parisiense em Qualquer Lugar do Mundo_Pequenas Escolhas

 

 

18 de abril: Dia Nacional do Livro Infantil

Você já leu para uma criança hoje?A leitura inspira, transfora e abre horizontes. Veja abaixo dicas sobre como incentivar o hábito da leitura durante a infância e ao longo da vida

Dicas para bebês leitoresDicas para crianças leitoresDicas para jovens leitoresDicas para adultos leitoresFonte: Instituto Natura

 

Veja mais sobre livros para as crianças:

5 motivos para ler “Minhas Imagens do Japão”

World Book Day, uma boa ideia para copiar por aqui

“Caderno de Observação de um Filho”: um livro cheio de delicadeza

Dicas de livros para a criança que já tem tudo

Quer Carnaval o ano todo? Leia “O Rapto do Galo”

“Kiki & Coco in Paris”: presente diferente para mães de menina

10 livros clássicos infantis em inglês

 

 

5 motivos para ler “Minhas Imagens do Japão”

Japao

 

Aproveitei a promoção de até 60% dos livros da maravilhosa e finada editora Cosac Naify no site da Amazon para abastecer a biblioteca das crianças e também garantir alguns exemplares dos livros favoritos para dar de presente. Nessa leva, comprei para minha filha de seis anos “Minhas Imagens do Japão”, de Etsuko Watanabe (2007), de R$ 37 por R$ 18,50.

Nos apaixonamos – mãe e filha – pela obra ilustrada que conta a vida de Yumi, a garotinha que abre as portas de sua rotina nos arredores de Tóquio. “‘Minhas Imagens do Japão’ é um ensaio de antropologia cultural para crianças”, escreveu Jo Takahashi na contracapa do livro.

                     Veja 5 razões para você ter “Minhas Imagens do Japão” na estante:

um

Abrir o livro é uma viagem instantânea – mais rápida do que o trem-bala – para uma  cultura tão rica e tão distante da nossa. Até a maneira de tomar banho e de comportar-se na escola é diferente no Japão. Sabia que  os alunos são responsáveis pela limpeza da classe, dos banheiros e do pátio?

dois

As ilustrações de Etsuko Watanabe são lindas e têm muitos detalhes que servem como uma espécie  de glossário dos costumes japoneses.

tres

A obra ensina a escrita japonesa para iniciantes. Há quatro tipos de escrita no país, entre elas os kanji, que  são os ideogramas que representam uma palavra inteira como montanha e sol.

quatro

Muitas crianças brasileiras que gostam de comida japonesa aprenderão com a personagem Yumi que a culinária do outro lado do mundo têm muito a oferecer além de sushi, guioza e tempura. Todos os pratos são ilustrados e têm suas respectivas descrições.

cinco

É muito legal ver como vive uma pessoa de outro país. Certamente “Minhas Imagens  do Japão” vai despertar a curiosidade dos pequenos sobre outras culturas.

 

Minhas Imagens do Japao

 

+ 10 livros clássicos infantis em inglês

+ 1O  ideias para guardar livros infantis

+ Livro “Kiki & Coco in Paris”: presente diferente para mães de menina

+ “Rabiscos” e “O Livro da Nina Para Guardar Pequenas Coisas”: presentes para quem tem tudo

+ “Mary Poppins” chega aos 80 anos om ilustração de Ronaldo Fraga

World Book Day, uma boa ideia para copiar por aqui

Gruffalo, personagem da autora Julia Donaldson

The Gruffalo, personagem de Julia Donaldson

Já ouviu falar em World Book Day? Em 3 de março é comemorado o dia da literatura infantil em mais de 100 países, quando as crianças se fantasiam de seus personagens preferidos dos livros.

A data foi criada pela Unesco para estimular o prazer pela leitura desde muito cedo e tem bastante importância na Inglaterra e na Irlanda, por exemplo, onde há uma farta distribuição nas escolas de vouchers que podem ser trocados livros.

O grande barato é fazer sua própria caracterização e não comprar o traje pronto. Para ajudar os pais menos habilidosos, o site Bookaid ensina o passo a passo das fantasias de personagens clássicos da literatura de língua inglesa, como The Gruffalo, Mr. Strong, Little Miss Sunshine, The Very Hungry Caterpillar e The Cat in The Hat, entre outros, e também arrecada doação para construção de bibliotecas na África.

Caterpillar_

The Very Hungry Caterpillar, personagem de Eric Carle

O World Book Day é boa ideia para copiar no Brasil para incentivar o gosto pelos livros e promover um desfile de Emílias, Meninos Maluquinhos, Bruxinhas Atrapalhadas e Marcelos (Marmelo, Martelo), entre tantas outras figuras da literatura brasileira que povoam o imaginário dos pequenos leitores.

 

+ 10 livros clássicos infantis em inglês

+ 1O  ideias para guardar livros infantis

+ Livro “Kiki & Coco in Paris”: presente diferente para mães de menina

+ “Rabiscos” e “O Livro da Nina Para Guardar Pequenas Coisas”: presentes para quem tem tudo

+ “Mary Poppins” chega aos 80 anos om ilustração de Ronaldo Fraga

 

Era uma vez… Kit de ilustrações para inventar histórias

Green 2

 

Como já contei antes, somos uma família de dupla nacionalidade. E minha filha criou uma regra na hora de ir para cama: eu leio livros em português e o pai, em inglês.

Na nossa recente viagem à Inglaterra, compramos vários livros por lá e não levamos nenhum brasileiro. Então, na minha vez de colocar a pequena para dormir, eu tinha que inventar histórias. Ela começava criando o nome de alguma criança e o que ela gostava de fazer. E eu me virava para dar continuidade. Em algumas noites, cheguei a bolar cinco histórias.

Tentei inverter os papéis para que minha filha desenvolvesse o enredo. Mas ela travava e pedia para eu acabar. Aos 4 anos, a criança ainda é bastante estimulada por imagens e por isso adorei a novidade da Green.

A marca de roupa lançou o kit Conte Uma História, que é um jogo composto por 20 cartas com estampas da nova coleção e ilustrações desenvolvidas por Paola Saliby. Em cada uma delas, os participantes encontram uma imagem diferente e aquele que iniciar a brincadeira, deve inventar uma história baseada na ilustração de sua carta. Daí por diante, cada jogador deve dar continuidade ao roteiro, inspirado na figura que tem em mãos. Uma deliciosa brincadeira que tem fim quando um dos participantes zera suas cartas.

O kit é um brinde da grife para compras acima de R$ 200.

 

Green3

 

Não resisti e postei duas estampas fofas da nova coleção de verão da Green:

Green

VEJA TAMBÉM:

 

 

Alice no País das Maravilhas ganha bolinhas e cores de Yayoi Kusama

Alice_Yayoi Kusama

 

Como já contei aqui, a exposição “Obsessão Infinita” de Yayoi Kusama, que atualmente está em São Paulo, é lúdica, interativa e recomendadíssima para ir com as crianças. Seus filhos gostaram do trabalho da artista japonesa? Tem mais Yayoi Kusama no Brasil. E desta vez mergulhada de verdade no universo infantil.

É ela quem ilustra uma versão do clássico livro “Aventuras de Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carrol, que chega ao País pela Globo Livros por R$ 59,90.

O trabalho de ilustração de Yayoi na obra é uma festa para os olhos das crianças e uma interessante faceta para os adultos. Alice nunca pareceu tão psicodélica e surreal.

 

Alice_Yayoi Kusama3

Alice_Yayoi Kusama_2

 

VEJA TAMBÉM:

Agendinha: Que tal construir um minhocário dentro de uma livraria?

minhocas 1 - deco farkas


A ideia de construir um minhocário dentro de uma livraria parece um pouco absurda? Mas não é. Para festejar o lançamento do livro “Minhocas”, de Luana Chnaiderman e ilustrado pelo artista plástico e grafiteiro Deco Farkas, conhecido como Treco, a editora
Cosac Naify e a Livraria da Vila vão promover uma divertida tarde neste sábado (10/05) em São Paulo.

Os autores do livro, que conta a história de um gordinho simpático que de tão preocupado acaba criando muitas minhocas (literalmente) na cabeça, farão sessão de autógrafos. Além disso, haverá a Oficina de Minhocas com escrita, desenhos e construção de uma grande minhocário coletivo. Já imaginou?

Livraria da Vila – R. Fradique Coutinho, 915 – São Paulo – SP
das 16h às 19h

 

minhocas_convite

 


LEIA MAIS:

“Mary Poppins” chega aos 80 anos com ilustrações de Ronaldo Fraga

Mary Poppins_2

 

A história contada há 80 anos da babá encantada que chega inesperadamente à Cherry Tree Lane levada pelo Vento Leste para virar de ponta-cabeça a vida de duas crianças ganha uma edição comemorativa da editora Cosac Naify.

Na próxima quinta-feira (08/05),  Mary Poppins, de P.L Travers e com tradução atualizada de Joca Rainers Terron,  chega às livrarias com ilustrações em preto e branco assinadas pelo estilista Ronaldo Fraga.  Para dar o efeito desejado no livro, os desenhos feitos por Fraga, entre eles os famosos guarda-chuva e a mala de tapete da babá, foram bordados à mão em tecido e então fotografados em estúdio.

A obra será vendida em duas versões: uma delas, com tiragem limitada, tem capa de papel texturizado e é acomodada em embalagem em formato de bolsa e com alças dobráveis. (R$ 79). A versão tradicional sai por R$ 39,90.

Vamos falar mais de Ronaldo Fraga. Sua deliciosa imersão no universo infantil merece um post dedicado só ao estilista. Quem não se lembra da estampa de bolacha Maria que invadiu suas criações para crianças?  Aguardem!

mary poppins_3

mary poppins_

Edição limitada de "Mary Poppins"

Edição limitada de “Mary Poppins”

capa Mary Poppins

 

LEIA MAIS:

Quer mais carnaval? Leia “O Rapto do Galo”

O rapto do galo_11

 

Que tal estender o clima de carnaval dos nossos pequenos foliões? E ainda mais com um pouco de cultura? A dica é o divertido livro “O Rapto do Galo” (Ed. Rocco Pequenos Leitores, R$ 39,50), que marca a estreia na literatura da atriz Fabiana Karla (sim, aquela engraçada da Rede Globo!)

Pernambucana com muito orgulho e mãe de três filhos, Fabiana conta com humor e rima o sumiço de um dos grandes símbolos do carnaval do Recife: a ave que representa o maior bloco de rua do Nordeste. Em seu cordel contemporâneo, a autora transporta os leitores para a folia de lá, onde é possível brincar com bonecos gigantes de Olinda, passar pelo cortejo do maracatu e trombar com passistas de frevo. Uma delícia de história acompanhada das maravilhosas ilustrações de Rosinha, também de Pernambuco.

Ah, no final do livro, um glossário ajuda os grandes e os pequenos não tão familiarizados com o reinado de Momo de lá.

 

O rapto do galo_2

O rapto do galo_3

 

LEIA MAIS: