Na festa infantil, a trilha sonora é para os adultos

Sou fã das músicas para criança do Pato Fu e da Adriana Partimpim; de Palavra Cantada cansei um pouco. Mas, ao organizar a festa de aniversário da minha filha, bateu uma dúvida sobre qual seria a playlist. As crianças estarão se divertindo nas camas elásticas, trapézio e tecidos acrobáticos, e certamente não vão prestar atenção na trilha sonora. Sobrará para os pais escutar por três ou quatro horas a nossa seleção musical. Bingo! Então, vamos fazer uma lista para agradar os adultos.

Para saber por onde começar, acionei meu amigo querido, editor de Cultura da Harper’s Bazaar e DJ Gustavo Abreu, que prontamente topou montar uma playlist para os 7 anos da minha filha. Ontem à noite recebi um recado dele: “Comecei a escolher as músicas e tive a ideia de só colocar vocais de mulheres poderosas e inspiradoras, pra Chloe crescer com vários role models incríveis na música. De Blondie e Cyndi Lauper… a Cat Power e Sia. Espero que gostem!”

Fiquei emocionada com o gesto e apertei play. Eu e Chloe adoramos a seleção.

Quer saber qual é? Clique aqui: http://spoti.fi/2eHQhLr

 

chloe

 

Mundo Bita: Descobrimos tudo sobre o famoso personagem

Mundo-Bita-Foto-Oficial-1

 

Se você tem criança pequena em casa, sabe muito bem que quem as coloca para dançar atualmente é um sujeito bonachão de bigode ruivo. O Bita é a galinha – dos ovos de ouro – da vez. O personagem com visual inspirado em donos de circo foi criado por Chaps Melo, que o desenhou para decorar o quarto da filha que estava prestes a nascer. Mas Bita ultrapassou a fronteira daquelas quatro paredes e ganhou o Brasil com seus amigos Tito, Dan e Lila.

Carioca criado no Recife, Chaps é quem compõe e dá voz às músicas dos videoclipes do Mundo Bita. A seguir, ele conta com exclusividade ao Pequenas Escolha mais detalhes da trajetória do famoso personagem e revela que Bita já deu prejuízo.

Pequenas Escolhas: Como surgiu o personagem Bita? 

Chaps Melo: Quando minha primeira filha ainda estava na barriga, resolvi desenhar personagens novos para decorar o quarto dela. Entre os personagens que criei estava aquele gordinho com bigode laranja e cartola na cabeça. Mas ele ainda não tinha o nome Bita. Só depois de um ano, quando eu e outros amigos resolvemos criar uma editora de conteúdo digital para crianças, decidimos usar o bigodudo na primeira historinha. Foi aí que ele ganhou o nome Bita. Deu tão certo que passamos a fazer todas as historinhas com ele.

PE: Bita tem um visual inusitado: com cartola, suspensório e bigodão ruivo. Afinal, quem é o Bita? 

Chaps Melo: O visual do Bita foi inspirado naqueles donos de circo que usam cartola, suspensório e têm vastos bigodes. O circo é um lugar mágico para as crianças e imaginei que usar esse universo lúdico seria um ótimo primeiro passo para uma bela composição gráfica. Depois, quando fomos aprofundando os enredos, começamos a traçar o perfil psicológico do personagem com mais detalhes. O Bita virou um amigão que mora em um planeta distante e surge para guiar a criançada em aventuras educativas pela imaginação.

frase BitaPE: Como ele virou animação?

Chaps Melo: A história é curiosa porque a Mr. Plot começou como uma editora de livrinhos digitais para tablets e smartphones. Fizemos três aplicativos móveis com historinhas e joguinhos educativos usando o Bita como personagem principal. A questão foi que a comercialização desses aplicativos não gerou retorno, inviabilizando o negócio. Pensamos até que havíamos perdido o nosso investimento e iríamos naufragar. Então veio a ideia de fazer uma última tentativa: criamos o aplicativo Bita e os Animais, em que cada habitat ganhava no final um clipe musical. Eu compus e cantei as músicas, nossa equipe interna produziu e colocamos no ar. O aplicativo continuou sem gerar retorno, mas os clipes caíram nas graças da criançada. Foi aí que percebemos que o nosso principal produto criativo deveria ser os desenhos animados musicais.

PE: Como surgiram Tito, Dan e Lila?

Chaps Melo: Depois de lançar os primeiros clipes, sentimos a necessidade de criar uma turminha de crianças para simbolizar o público e interagir com o Bita. Pensamos bastante em perfis distintos. Cada um dos três têm características diferentes, tanto físicas quanto emocionais. Tentamos tecer um pequeno panorama social, em que todos desempenham a sua liberdade, mas com muito respeito. No curta metragem Mundo Bita, que foi lançado como bônus do DVD “Bita e o Nosso Dia”, podemos notar o jeitinho especial de cada uma das crianças.

Chaps Melo, criador do personagem Bita

Chaps Melo, criador do personagem Bita

PE: Por que acha que o Bita cativou tanto as crianças?

Chaps Melo: É difícil explicar esta fórmula. Eu não tenho a resposta exata. Mas imagino que as crianças sintam o carinho, o respeito e a emoção que há por trás do Mundo Bita. Não foi um personagem criado para ser comercial. Foi criado para alegrar um bebê, a minha filha. Depois, estudamos e pensamos bastante em características construtivas para o universo do Mundo Bita, que estimulam o crescimento saudável, o respeito à natureza e às pessoas. Talvez, mesmo sem entender muito bem todas essas nuances, as crianças sintam que é um conteúdo do bem.

frase Bita 2PE: Quem eram seus personagens preferidos na infância?

Chaps Melo: Quando era bem pequeno, curtia muito os Muppets. Havia uma série de desenhos animados chamada Muppet Babies, que assistia sempre. Depois, um pouco mais crescido, embarquei no mundo fantástico dos super-heróis.  Adorava gibis e desenhos de ação. Ainda adoro.

PE: Qual era sua profissão antes do sucesso do Bita?

Chaps Melo: Era sócio de uma agência de comunicação digital, a 4D. Lá eu fazia ilustrações, artes e diagramações. Já cantava e compunha por hobby, mas só depois do Bita foi que a música se tornou o foco do meu trabalho.

Mr Ploto_Mundo Bita

Chaps Melo com seus sócios na Mr. Plot: Felipe Almeida, João Henrique e Enio Porto

“Show do Bita”: Opinião do Pequenas Escolhas 

Fomos ao “Show do Bita” no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo. Levei meus filhos de 6 anos e 1 ano com um certo receio já que era a estreia do caçula numa plateia de show e não tinha ideia de como ele iria se comportar. Mas a dinâmica do espetáculo é ótima para crianças bem pequenas.

Uma atriz/cantora é quem comanda a apresentação e interage com o público. Como é ela quem canta ao vivo no palco, pode causar um certo estranhamento aos mais atentos que esperam ouvir a voz masculina dos videoclipes que fazem sucesso na TV (as músicas dos clipes foram gravadas por Chaps Melo – leia a entrevista acima). Mas acho que isso é um detalhe sem importância para as crianças.

Não tem muita enrolação entre uma música e outra e esse timing ajuda a prender a atenção dos fãs mais novinhos durante uma hora. Já os maiores, como a minha filha mais velha, dançam e cantam junto todos os hits, entre eles “Como é Verde na Floresta”,  “Viajar pelo Safári” e “No Fundo do Mar”.

Os efeitos especiais são simples e certeiros: bolhas de sabão que caem do teto e uma enxurrada de aviões de papel feitos pelo público e que voam em direção ao palco.

O espetáculo está passando por cidades do País. Quer um conselho? Fique de olho na programação (aqui) e não deixe de levar a criançada.

show Bita

 

Jazz também para as crianças

Ilustração de Misha Lulu

Quem dá o tom, ou melhor, a dica do post de hoje do Pequenas Escolhas é a jornalista Thami Nóbrega, mãe da já musical Manu, de 1 ano e meio. Confira!

Cansado da Galinha Pintadinha, Patati Patatá e Barney? Seus problemas acabaram. Pelo menos por algumas horas. Deixe de lado as músicas infantis e aproveite a companhia dos pequenos ao som de uma banda de jazz. Sim, isso é possível em São Paulo. O projeto Jazz BB reúne boa música e crianças no mesmo ambiente, sem estresse e nem ‘shhhh’ direcionados aos pimpolhos.

Aos sábados, o Jazz B abre as portas com um brunch e shows de jazz para as famílias com filhos, onde as crianças podem dançar, correr e brincar à vontade enquanto a banda toca. Minha filha, de 1 ano e meio, decidiu enfiar a cabeça no saxofone para conferir o que havia dentro daquele ‘buraco’ que saía som. Também achou que o suporte do instrumento dava um bom cavalinho. Não recebeu um único olhar de recriminação, só arrancou risadas dos músicos. E eu? Nem tive de me levantar da mesa.

Os adultos, inclusive, são convidados a pedir as músicas que desejam ouvir. Em frente aos músicos é colocado um tapete de EVA para acomodar os menores clientes, também bem-vindos na tarde de jazz. Programão para pais e filhos.

Confira a programação no site do Jazz B. Neste sábado (03/05), quem se apresenta é a New Orleans Jass Band, que há 51 anos toca jazz tradicional e dançante.

Jazz B
Rua General Jardim, 43, Vila Buarque – São Paulo – SP
(11) 3257-4290
Sábado a partir das 12h
Show: 12h30 às 13h15 e 14h30 às 15h15
Entrada: R$ 20
Crianças até 10 anos de idade não pagam
Crianças entre 10 e 16 anos pagam meia: R$ 10 (meia)
Buffet + show: R$ 59

JazzB

JazzB

VEJA TAMBÉM:

Onde pular Carnaval em São Paulo

carnaval

Pequenas Escolhas abre alas para o site Bora.aí mostrar onde se divertir no Carnaval com a criançada. E não é preciso esperar o reinado de Momo para entrar na folia paulistana. Neste final de semana, já tem muitas opções para cair no samba, pular no bloco ou se jogar nas oficinas de máscaras. Tem até grito de Carnaval com neve, acredita?

E também não falta a tradicional matinê do Palavra Cantada, bloco das Emilias sai pelas ruas da Vila Buarque e dá até para sassaricar dentro de shopping center.  Prepare a fantasia da turminha e veja aqui onde pular.

Banda do Seu Peru para entrar no clima!


 

VEJA TAMBÉM:

 

 

Biscoitos, música e nada mais

 

Biscoitos
A felicidade estava logo ali, no calor da minha cozinha e bem longe das praias paradisíacas que invadiram a timeline das minhas redes sociais. Penúltimo dia do ano e, após o trabalho, finalmente atendi a um pedido da minha filha: fazer biscoitos. Colocamos nossas quatro mãos na massa algumas poucas vezes, mas recentemente ela encasquetou com a ideia e me pedia constantemente para fazer os tais biscoitinhos. Não sei porque protelei, mas prometi que faríamos nas férias dela. Cheguei em casa animada e resolvi pagar a dívida.

Busquei uma receita mais simples e saudável dos que as anteriores, que levavam muita manteiga, e encontrei no site As Delícias do Dudu. (Obrigada Thami pela dica da página!)

Separamos os ingredientes, Chloe arrastou seu banquinho para a beirada da pia e, além da receita inédita, resolvi testar uma nova trilha sonora. Acabei de descobrir o aplicativo gratuito para iPhone Rádio Ibiza e gostei dos set lists disponíveis. Na noite de culinária, me antecipei e escolhi a animada trilha de Ano Novo.

Com as mãos sujas de farinha, chocolate em pó e manteiga, minha pequena, numa só felicidade, dançava de “Mr. Jones” de Counting Crows a uma versão remixada de “O Calhambeque” do Robertão.

Ah, sim, os biscoitinhos ficaram uma delícia. Segue a receita que fizemos, um pouquinho adaptada da original.

 

Biscoito integral de laranja e chocolate:

100g de manteiga
1 ovo
3 xíc. de farinha de trigo integral
1/2 xíc. de açúcar cristal orgânico
1 col. de sopa bem cheia de suco de laranja
1 col. de sopa de fermento
1/2 xíc. de chocolate em pó

Veja o passo a passo com fotos no site As Delícias do Dudu.

 

MAIS LANCHINHOS:

O que toca na vitrola

Adriana Partimpim Tles

 

Conheci o trabalho de Adriana Calcanhotto para crianças há um ano, quando minha filha ganhou o CD Adriana Partimpim Tlês. Era tudo o que eu precisava! Não aguentava mais Palavra Cantada e Galinha Pintadinha.

Mais do que o orgulho de ver a pequena cantando todas as estrofes de “Lindo Lago do Amor”, de Gonzaguinha , e “Taj Mahal”, de Jorge Ben Jor, essa proposta da cantora me fez abrir os ouvidos para as músicas que gostamos e perceber que inúmeras delas trazem letras lúdicas, que agradam às crianças.

Desde então, a trilha sonora de casa mudou. “Lenda das Sereias”, de Clara Nunes na voz de Marisa Monte, e “Chocolate”, de Tim Maia, viraram top hits.

Na viagem de carro pela Califórnia, preparei uma seleção especial. E mais duas músicas “adultas” entraram na parada de sucessos da minha filha: “De Repente, Califórnia”, de Lulu Santos, e “Holiday”, de Madonna.

Que som embala a sua casa? Comente! Vamos aumentar o nosso repertório!