Festa do Dia das Mães (quase) sem lágrimas

O horário da festinha de Dia das Mães na escola, num final da tarde de outono sem sol, não permitia os óculos escuros sempre tão providenciais. Ok, abri mão deles e também do rímel para não pagar tanto mico porque sou daquelas mães que vivem com os olhos cheios de lágrimas. Desta vez, não chorei. Talvez um pouquinho, mas de tanto rir.

A escola da minha filha fez a melhor festa dos últimos tempos. As mães sentaram-se no chão do pátio com seus filhos no colo para assistir à apresentação da ótima contadora de histórias Kiara Terra. Ela encenou uma adaptação de “Andira”, texto de Rachel de Queiroz sobre uma andorinha que foi abandonada logo após o nascimento e passou a ser criada por uma mãe morcego. Depois da divertida apresentação, um simpático lanche e o presentinho feito pelos alunos encerraram a comemoração.

Foi uma festa diferente: nada de crianças chorando porque desistem de se apresentar para os pais no último minuto (como minha filha costuma fazer) e nenhuma guerra de celulares, câmeras e tablets para registrar o melhor ângulo dos pequenos. Apenas um momento relaxante entre mães e filhos.

 

Dia das Mães

 

Veja também:

Luciana

2 Comments

  1. Luciana, fiquei muito, muito mesmo, feliz em ler sua postagem. Quando pensamos em uma comemoração de Dia das Mães diferente, que fugisse do esperado sempre, ficamos bem ansiosas para sentir a repercussão entre vocês, as grandes homenageadas, mães !!! A ideia era essa mesma, sentar no chão com filho no colo e curtir um momento de diversão e reflexão sobre o nosso dia a dia como mães. Fico feliz em saber que adoraram !!! Mães e filhos, curtiram um fim de tarde bem simples, mas que com certeza, ficará gravado na memória de cada um. Beijos, Fê Cavallieri

Deixe uma resposta