Glamping: um chalezinho em Itu (SP)

glam

Você sabe o que é glamping? É uma forma de hospedagem, bem comum no exterior, que significa acampar com glamour. Resumindo: sem muito perrengue. O termo é pouco difundido por aqui.

Mas, sem querer, encontrei um lugar para passar o final de semana, enquanto buscava pousada próxima de São Paulo no Booking.com, que é a perfeita tradução de glamping. No site de reservas online e no próprio site, o local aparece como Pousada Corujas. Definitivamente não é a classificação mais apropriada.

Numa área plana e arborizada de 5 alqueires em Itu (SP), há 10 chalé de dois andares que acomodam até 6 pessoas cada. Todos têm uma pequena cozinha equipada e churrasqueira. A simpática Márcia, proprietária, serve um caprichado café da manhã e tem carvão à disposição para quem quiser comprar. Fora isso, é preciso levar todos alimentos que serão consumidos ao longo do dia. Da água aos petiscos e cerveja que serão consumidos à beira das piscinas.

Os jogos de lençóis, as toalhas e os travesseiros disponíveis e em ótimo estado reforçam o título glamping do local. No entanto, as maiores atrações são as piscinas. São três: uma grande ao ar livre, uma aquecida dentro de uma cobertura envidraçada – perfeita para nadar à noite (na nossa estadia, fomos presenteados com lua cheia) -, e uma pequena para bebês.

Durante as férias de janeiro e julho, a pousada/glamping Corujas funciona como acampamento para até 100 crianças.

VEJA TAMBÉM: Califórnia com criança: muita natureza, cabana e ursos em Yosemite

glamping Corujas

glamping Corujas

glamping 3

Somewhere slower: casal viaja o mundo por um ano com quatro filhos pequenos

adamo-family

Courtney e Michael estão viajando com os quatro filhos por vários países durante um ano

“Porque a vida é tão curta, e nossas crianças crescem tão rápido”. Foi com esse argumento que Courtney Adamo e seu marido, Michael, venderam a casa e tudo mais que tinham em Londres para viajar pelo mundo por um ano com seus quatro filhos, de 10, 8, 6 e 3 anos.

Acompanhar o tour dessa família pelo site Somewhere Slower ou pelo Instagram  é inspirador e nos faz querer viajar cada vez mais com nossas crianças e mostrar a elas que há muito para explorar além dos limites da nossa vida cotidiana ou dos destinos de sempre das férias.

O mundo também é a sala de aula dos filhos de Courtney, que fazem uma imersão na cultura de cada local que visitam: eles aprenderam espanhol numa feira livre no Chile; em Trancoso, na Bahia, tiveram aulas de como fazer uma cesta trançando folhas de coqueiro e fizeram uma pequisa sobre os principais pontos da Nova Zelândia, por exemplo. As crianças mais velhas também leem diariamente e os pais tomam lições.

O esquema da família está longe de ser mochileiro. Eles geralmente alugam uma casa ou um apartamento bacana para ter experiência como locais e, além disso, se darem o direito de passar um dia sem colocar o pé para fora, apenas curtindo a companhia do outro. E assim fazem jus ao nome do projeto Somewhere Slower (algum lugar mais devagar). No entanto, para cruzar a Nova Zelândia, eles optaram por alugar um motorhome, para a alegria da criançada.

Ah, e não pense que os Adamo levam muita coisa nas costas. A mãe mostrou no Instagram uma foto da bagagem dos filhos: uma mala pequena de rodinhas mais uma mochila para cada um deles.

Trancoso_

A família na casa alugada em Trancoso, na Bahia, aprende com o argentino que mora lá como fazer cesta com folhas de coqueiro

Aula de surfe no Chile

Aula de surfe no Chile

No parque nacional Yosemite, na Califórnia

No parque nacional Yosemite, na Califórnia

Veja também: Muita natureza, cabana e ursos em Yosemite

O motorhome é a casa da família na Nova Zelândia

O motorhome é a casa da família na Nova Zelândia

LEIA TAMBÉM: 10 Motivos para ir à Califórnia com criança

Califórnia com criança: Los Angeles e Disneyland

Disney California Adventure Park

 

O nosso roteiro pela Califórnia começou por Los Angeles, que eu já conhecia. Dois dias inteiros foram suficientes para visitar o essencial: Hollywood e sua Calçada da Fama e Beverly Hills. Anaheim, cidade onde fica a Disneyland e o Disney California Adventure Park, está  a 40 km de Los Angeles,  mas preferimos passar duas noites por lá para ficar perto dos parques e não ter que pegar estrada à noite – e  exaustos.

Ficamos no motel Super8, tem várias opções no entorno, e a gente levava menos de 10 minutos a pé para chegar aos parques (um em frente ao outro).  Carrinho guarda-chuva é essencial para as crianças menores!

Acho bobagem pagar caro para se hospedar em um dos três hoteis que fazem parte do complexo da Disney. Tudo é muito pertinho e como passamos o dia todo fora, mal aproveitamos a estrutura desses resorts.  O que vale é desembolsar US$ 27,99 por adulto ( criança pequena paga US$ 14,99) pelo café da manhã com a turma do Mickey no Disney’s Paradise Pier Hotel. Além do ótimo buffet com todas aquelas delícias americanas, os pequenos enlouquecem com os personagens todos que circulam pelas mesas.

Ficamos um dia inteiro em cada parque e ambos oferecem muits atrações para as crianças menores. Com a cota de Mickey Mouse abastecida, pegamos a estrada, a famosa Highway 1, que atravessa a Califórnia pela costa.
Mickey Mouse

 

PEQUENAS ESCOLHAS NA HORA DE COMER: Los Angeles foi o melhor lugar para refeições saudáveis. Há diversos restaurantes orgânicos e várias unidades da rede Whole Foods – ótima para comprar sopa, sushi e salada e abastecer a bagagem com leite achocolatado e biscoitos orgânicos para os cafés da manhã nas outras cidades. Iogurte grego e frutas frescas, como morango, cereja e damasco, compradas na estrada também foram uma mão na roda. E ainda era possível improvisar um arroz e feijão parecido com o nosso nos restaurantes mexicanos. Lembre-se de pedir sem pimenta!

A sorveteria Ice Cream Lab em Beverly Hills é imperdível. O sorvete é feito na hora, em batedeiras gigantes, onde são misturados ingredientes naturais com nitrogênio líquido para o congelamento instantâneo. Os clientes acompanham fascinados a experiência da gastronomia molecular diante dos olhos.

Saindo da saudável Los Angeles, o cardápio fica mais restrito para uma criança de 3 anos. A solução foi intercalar pizza, batata frita e mac and cheese acompanhado de brócolis. Às vezes rolava um peixinho. E tudo bem.

 

   MAIS CALIFÓRNIA:

Calçada da Fama

Califórnia com criança: Disneyland e muito, muito mais

Califórnia

 

Definitivamente, viajar de férias sem minha filha não é uma opção a ser considerada, pelo menos por enquanto. Antes de ser mãe, aproveitei muito e conheci parte do mundo. Agora o prazer é mostrar à pequena o que tem por aí. Em maio, fizemos uma viagem de carro pela Califórnia, nos Estados Unidos.

Chloe estava na fase de obsessão pelo Mickey Mouse e a exaustiva maratona de parques na Flórida estava fora de cogitação. Resgatei um desejo antigo da adolescência, alugamos um carrão família e partimos para uma road trip de 18 dias e 1.200 milhas (quase 2.000 km) percorridas por mim, já que o marido não dirige. No meu sonho juvenil, eu estava no banco do passageiro de um conversível. Mero detalhe.

 

Big Sur

 

No nosso roteiro bem amarrado pelo ensolarado estado, atrações para agradar crianças e adultos, seis motéis típicos americanos, um hotel cinco estrelas e uma cabana no meio da floresta.

Começamos por Los Angeles e logo partimos para a vizinha Anaheim, onde fica a Disneyland. Outros destinos inesquecíveis foram o aquário de Monterey, um dos mais impressionantes do mundo, e o parque nacional de Yosemite. E muitas surpresas pelo caminho da HW 1. Confira as dicas de cada lugar nos próximos posts.

 

MAIS CALIFÓRNIA:

Calçada da Fama